top of page
  • Foto do escritorRochelle Affonso Marquetto

Como Lidar com o Luto: Como a Terapia ajuda na Superação de Perdas


capa como lidar com o luto

Quando pensamos em como lidar com o luto, muitas vezes nos vem à mente a dor da perda de alguém querido. Mas você sabia que o luto vai muito além disso?


Ele pode surgir em várias situações, como o término de um relacionamento, a perda repentina de um emprego ou mesmo quando um grande sonho não se realiza.

Cada uma dessas experiências pode mexer com um emaranhado de emoções que, se não cuidadas, podem balançar bastante nossa saúde mental.


Hoje vamos te mostrar como você pode atravessar esse momento delicado e encontrar caminhos para a cura.


O que é o luto?


O luto é, de fato, uma reação completamente natural quando ocorre uma perda em nossa vida. É um processo cheio de camadas, envolvendo uma mistura de emoções, pensamentos e até mesmo sensações físicas.


Embora muita gente associe o luto principalmente à perda de um ente querido, ele vai muito além e pode se manifestar em várias outras situações, como fim de relacionamentos, perda de oportunidades, problemas de saúde e sonhos que não se concretizam.


De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2022, o luto prolongado foi reconhecido como um transtorno mental, sendo incluído tanto na nova versão do manual de diagnósticos de transtornos mentais da Associação Americana de Psiquiatria (APA) quanto na Classificação Internacional de Doenças (CID-11).



Entendendo o Luto e suas Diferentes Faces


Podemos entender o luto como um caminho bastante doloroso de nos adaptarmos a uma grande perda.


Não é uma jornada reto e previsível, mas sim algo que varia muito de pessoa para pessoa, sendo marcado por momentos de tristeza profunda, raiva, culpa e, com o tempo, aceitação e cura.

Cada um vive essa experiência à sua maneira, e é isso que a torna tão única e, ao mesmo tempo, universal.


As diferentes maneiras de experienciar o luto são tão variadas quanto as próprias perdas que as desencadeiam. Quando perdemos um ente querido, sentimos o que a maioria das pessoas reconhece como luto, que vem carregado de saudade e tristeza.

Mas, vale lembrar que o luto não aparece apenas com a morte.


  • O término de um relacionamento, por exemplo, pode nos deixar com um sentimento de perda imenso, quase como se tivéssemos perdido uma parte de nós mesmos.

  • A mudança repentina de carreira ou a perda de um emprego podem mexer profundamente com nosso senso de identidade.

  • E quando temos que dizer adeus a um sonho que não se realizou? Como aprendemos a aceitar e encontrar novos propósitos?

Estas são apenas algumas das formas que o luto pode assumir, e cada uma delas traz seus próprios desafios. Mas lembre-se, cada perda é também uma oportunidade de crescimento e a terapia pode te ajudar muito nesse processo de cura e aprendizado.


Será que preciso de terapia para lidar com o Luto?


Nem todos os momentos de luto necessariamente precisam de terapia, mas ela pode ser um porto seguro em situações mais complexas. Segundo especialistas, a terapia é altamente recomendada em casos de perdas mais complicadas, como mortes violentas, repentinas, precoces ou quando mais de uma pessoa se vai.


E se a dor parecer insuportavelmente intensa e constante, buscar apoio profissional pode fazer toda a diferença. A terapia não vai bloquear a vivência da dor, mas procura tornar esse período um pouco menos árduo, ajudando na reconstrução da vida pós-perda.


Em resumo, a terapia é sempre benéfica e está disponível para quem sentir essa necessidade. Lembre-se, não há vergonha em pedir ajuda e cada um tem seu próprio tempo para superar.


Entenda como Funciona a Terapia do Luto


As sessões de terapia do luto são tão únicas quanto as pessoas que as procuram! Elas variam de acordo com o caso, o terapeuta e o que o paciente precisa.


Quer saber como isso funciona? A frequência das sessões, por exemplo, é ajustada conforme o que é percebido durante os encontros individuais.


Para Rochelle Marquetto, médica especialista em psicoterapia, o luto tem suas fases e pode ser cíclico. Um exemplo disso pode ser o aniversário de falecimento de um ente querido.


Pode ser que, ao se aproximar dessa data, uma pessoa que já se sentia mais estável em relação à perda comece a experimentar novamente sentimentos intensos de tristeza, saudade e dor, como se estivesse revivendo o luto.


Da mesma forma, datas comemorativas, como aniversários ou feriados, também costumam desencadear essas ondas de luto, fazendo com que a pessoa sinta a perda de maneira mais intensa novamente.


Além disso, não é só individualmente que a terapia acontece! Às vezes, uma família inteira pode ser atendida junta. E quando falamos de crianças, é fundamental envolver quem cuida delas, tanto para orientar quanto para entender e acolher suas próprias angústias.


5 Tipos de terapia para lidar com o luto


1. Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC):

Uma das terapias mais utilizadas e recomendadas pelos especialistas. A TCC ajuda a identificar e confrontar pensamentos negativos, trazendo uma visão mais equilibrada da perda. Por exemplo, se você está lutando contra sentimentos de culpa, essa terapia te ajudará a reconhecer e reestruturar esses pensamentos.


2. Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT):

A ACT trabalha com a aceitação da dor da perda e o compromisso com ações que trazem significado e propósito à vida. Se você perdeu um ente querido e está se sentindo perdido, essa terapia costuma auxiliar a encontrar novos propósitos e redirecionar a vida de forma positiva.


3. Terapia de Arte:

A expressão criativa através da arte pode ser uma nova forma de processar o luto. Pintar, desenhar, esculpir ou até mesmo escrever podem ajudar a externalizar sentimentos e encontrar alívio emocional.


4. Terapia de Grupo:

Participar de um grupo de apoio é uma excelente oportunidade de compartilhar experiências, sentimentos e estratégias de enfrentamento com outras pessoas que estão passando pela mesma situação. Saber que você não está sozinho é algo reconfortante.


5. Terapia EMDR (Dessensibilização e Reprocessamento através dos Movimentos Oculares):

Essa metodologia é ótima para quem possui traumas associados ao luto. A EMDR ajuda a processar e reorganizar memórias traumáticas, reduzindo a intensidade emocional associada a elas.



Como a Pontual Psiquiatria te ajuda a lidar com o luto


Chegamos ao fim do nosso artigo sobre “como lidar com o luto”. Na Pontual Psiquiatria oferecemos suporte especializado e personalizado para ajudá-lo a atravessar esse momento tão delicado.


Nossa equipe trabalha com um conjunto de ações pensadas para promover seu bem-estar e construir um caminho de luto saudável.


Conheça nosso espaço ou agende uma consulta online. Sua saúde mental vale muito!


2 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page