• Jorge Augusto Ribeiro

Saiba quais são os sintomas e tipos de ansiedade

Entenda quais são os tipos mais comuns de ansiedade e suas manifestações, levando em conta seus sintomas psicológicos e físicos



Ansiedade no mundo


Segundo dados recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil foi eleito o país mais ansioso do mundo. Em torno de 9,3% da população brasileira sofre de algum transtorno de ansiedade, o que é o triplo da média mundial, superando até mesmo os Estados Unidos, com 6,3%.


Ficar a noite rolando sem conseguir dormir, tensão muscular quase constante ou sentir que o coração vai sair pela boca são alguns sinais que devem alertarmos.

No post de hoje vamos te ajudar a entender mais os sintomas da ansiedade (tanto os físicos quanto os psicológicos), além de adentrar um pouco esse universo para conhecer os tipos de ansiedade.


Vem com a gente?


Quais são os sintomas de quem sofre de ansiedade?


Há quem diga que nunca teve aquela sensação de que algo ruim vai acontecer, suor e até mesmo embrulho no estômago. Por vezes também dores de barriga e situações de medo constante.


São ameaças tratadas de maneiras diferentes para cada indivíduo. Porém, quando elas ultrapassam o nível de intensidade é que devemos ficar atentos, pois pode se tratar de uma ansiedade que virou transtorno. Como por exemplo o transtorno de ansiedade generalizada (TAG), ou o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT). Esse último, se desenvolve após um evento ou situação excepcionalmente traumática.




Podemos caracterizar desde situações que envolvem medo e apreensão, até sintomas físicos como aumento da pressão sanguínea e batimentos cardíacos.


Isso ocorre porque o corpo todo pode ser afetado pela liberação de substâncias como a adrenalina, noradrenalina e cortisol que ativam o sistema nervoso simpático, que é o responsável pelas alterações do organismo diante de situações de estresse.


Separamos aqui os sintomas físicos e psicológicos da ansiedade:


Sintomas psicológicos:


- Apreensão;

- Medo;

- Angústia;

- Inquietação;

- Insônia;

- Dificuldade de concentração;

- Incapacidade de relaxar;

- Sensação de estar “no limite”;

- Preocupação com o futuro;

- Pensamentos de catástrofes.


Sintomas físicos:


- Sudorese;

- Falta de ar;

- Hiperventilação;

- Boca seca;

- Formigamento

- Náusea;

- Ondas de calor;

- Calafrios;

- Tremores;

- Tensão muscular;

- Dor no peito;

- Taquicardia;

- Sensação de desmaio;

- Tonturas.


Quais são os tipos de ansiedade mais comuns?


A ansiedade pode sim, afetar muito sua mente e seu corpo. Por isso trouxemos aqui as variações dos transtornos de ansiedade:


Ansiedade generalizada: trata-se daquela preocupação intrusa, excessiva, ocorrendo na maioria dos dias, por um período de pelo menos 6 meses, que pode estar ligada a, por exemplo, uma performance no estudo ou no trabalho, finanças, saúde de membros da família, medo de temporal ou questões menores, tais como tarefas domésticas, consertos no automóvel ou atrasos a compromissos. O individuo considera difícil controlar a preocupação e é comum estar associado com depressão. Seus sintomas comuns são tremores, nervosismo, irritabilidade, dores e tensão muscular, “nó na garganta”, cefaleias e problemas gastrointestinais.


Ansiedade Social: a pessoa geralmente apresenta medo acentuado e persistente a situações sociais, nas quais possam ser expostos a possíveis avaliações por outras pessoas. Essas situações incluem comer, falar e escrever em frente aos outros e conversar com estranhos. O indivíduo paralisa quando é exposta socialmente ou em público, como por exemplo apresentar um trabalho. Seria a chamada “timidez patológica”, o que limita a vida social e afetiva e apresenta desconforto perante a algumas situações. Os sintomas mais frequentes são rubor facial, tremor, taquicardia, sudorese e tensão muscular.


Transtorno do pânico: crises ou ataques de pânico recorrentes, que podem durar alguns minutos com sensação de que “vai morrer”, “enlouquecer”, ou “perder o controle”. Estima-se uma herdabilidade de 30-40%. Dor no peito, falta de ar ou sensação de asfixia, taquicardia e sensação de desmaio podem ser alguns sintomas que costumam acompanhar os ataques. Estes episódios podem acontecer de forma súbita, sem nenhum desencadeante ou situacionais relacionados a algo específico, como ônibus, elevadores, tuneis, entre outros. Os ataques recorrentes podem levar à evitação fóbica, pudendo evoluir para agorafobia.


Agorafobia: medo de aglomerações ou situações em que o socorro seria muito difícil. Essa evitação fóbica gera prejuízo significativo no trabalho, no estudo e no convívio familiar e social dos indivíduos. Podemos citar aqui situações que envolvem passagem por túneis, elevadores, pontes ou por exemplo em um ambiente lotado como um show, metro ou avião.


Fobia específica: um medo considerado irracional e exagerado a determinados objetos, seres e personagens. Os sintomas devem persistir por pelo menos 6 meses para ser diagnosticada. Podemos citar como exemplo, medo de insetos como aranhas, baratas, objetos como pregos e agulhas, ambientes como alturas, tempestades e agua, medo de ver sangue ou receber injeções, medo de personagens como palhaços e bruxas.


Mutismo seletivo: afetando normalmente as crianças/adolescentes, essa desordem psicológica rara é mais comum em meninas. Geralmente esses indivíduos têm dificuldade de se comunicar, apresentando dificuldade em ambientes sociais selecionados, como a escola (com outras crianças ou professores). No entanto, são capazes de falar se comunicar em locais onde estão confortáveis e relaxadas, ou com pessoas próximas. Traz impacto negativo no desenvolvimento interpessoal e acadêmico, e quando não tratado pode evoluir para transtornos mais graves como timidez excessiva e isolamento social.


Ansiedade de separação: envolve ansiedade persistente e intensa sobre estar longe de casa ou separado de pessoas com as quais a criança tem apego, em geral a própria mãe ou cuidadores principais. É considerado um transtorno, quando se torna excessivo e inadequado para a idade e ou grau de desenvolvimento, ou quando interfere no funcionamento da rotina diária do indivíduo. A criança frequentemente pode chorar ou implorar para que a pessoa não a deixe. E depois que os pais ou cuidadores vão embora, ela só pensa em reencontrá-la. Sintomas como dores de cabeça, dor no estômago e dificuldade na hora de dormir são sintomas físicos frequentes.



Agora que você já sabe quais são os tipos de ansiedade mais frequentes e seus sintomas, que tal saber mais sobre suas causas? Em nosso post sobre causas de ansiedade te apresentamos tudo isso e mais um pouco! Acesse no link.


Se você está se sentindo ansioso (a) por um período maior de tempo e aquilo interfere nas rotinas do dia a dia, nos procure!

Basta entrar em contato com o número abaixo!


Quer conversar um pouco mais?


Nos contate para falar com um de nossos profissionais! Estaremos aqui para uma avaliação correta e respeitosa!


Aqui você encontra conteúdos sobre o universo da saúde mental, argumentando com dados científicos e concisos.


Nosso objetivo é acima de tudo trazer informação e a importância de cuidar da sua saúde mental com muito carinho.





43 visualizações0 comentário
CTA-whatsapp-bt-500x.png