top of page
  • Foto do escritorRochelle Affonso Marquetto

O que é mitomania ou transtorno da mentira? Tem cura? Sintomas, causas e tratamento


capa artigo mitomania


A mitomania, ou como alguns preferem chamar: “síndrome da mentira patológica’ ou “pseudologia fantástica”, é uma situação em que alguém mente de forma constante e sem razão óbvia.


Essas pessoas não estão apenas exagerando um pouquinho aqui e ali; estão criando histórias completamente falsas. Agora, pensando nisso, surge a pergunta: a mitomania é oficialmente considerada uma doença? 


A resposta é um pouco mais complicada do que um simples sim ou não. 

Nos grandes manuais de psicologia, como o DSM-5 e o CID-10, que os médicos usam para identificar doenças mentais, a mitomania não é listada como uma doença específica. 


Em vez disso, ela é frequentemente vista como um sintoma que pode estar associado a outros problemas psicológicos, como transtornos de personalidade.


Origem da Mitomania


Curiosamente, essa ideia de mentir compulsivamente não é algo novo.

Na verdade, o termo "mitomania" foi usado pela primeira vez há muito tempo, no século XIX. Foi um psiquiatra alemão chamado Anton Delbrueck quem começou a falar sobre isso lá em 1891. 


Desde então, muitos psicólogos e psiquiatras têm estudado e debatido sobre o assunto, buscando entender melhor. 


No entanto, ainda não chegaram a um consenso se a mitomania deve ser considerada uma doença à parte ou apenas um aspecto de outras condições.


Segundo o professor de psicologia social Hélio Deliberador, da PUC-SP, a mitomania é um processo de adoecimento psíquico em que a pessoa constantemente conta mentiras para elevar sua importância, conquistas e criar uma imagem de poder que não corresponde à realidade.


Quem Tem Mitomania e Por Que Ela Surge?


A verdade é que a mitomania ainda é um campo com mais perguntas do que respostas na ciência. 


Então, ainda não temos muitas pesquisas sobre quem exatamente tende a desenvolver esse hábito de mentir compulsivamente e por quê. 


Mas, olhando para o que já sabemos, percebemos que muitas pessoas que mentem compulsivamente têm um ponto em comum: a baixa autoestima. 


Elas geralmente não se sentem muito bem consigo mesmas. Essa insegurança pesa bastante e pode ser um terreno fértil para o hábito de inventar histórias.


A relação dos traumas da infância e da mitomania


Outra coisa que pesa bastante são as experiências vividas na infância. 


Pense só: se uma criança passa por momentos bem difíceis, como abusos de qualquer tipo, ou vive num ambiente onde mentir é algo comum, isso pode deixar marcas profundas. 


E essas marcas podem ser um caminho para a mitomania. Além disso, se a criança cresce em um ambiente onde precisa constantemente buscar atenção e aprovação, isso também pode influenciar.


E tem mais: algumas condições de saúde mental, como transtornos de personalidade, costumam aparecer junto com a mitomania. Até mesmo um trauma na cabeça pode ter seu papel nisso tudo.


Outras causas para a mitomania


  • Busca por Atenção: Tem gente que mente para se sentir mais importante ou admirada. É como se as histórias inventadas dessem um brilho a mais na vida delas.


  • Fuga da Realidade: Às vezes, a vida é dura, e inventar histórias pode parecer uma saída para não encarar problemas reais.


  • Problemas Psicológicos: Não é raro ver a mitomania acompanhada de outras questões, como ansiedade ou depressão.





Sintomas da Mitomania: Quando a Mentira Domina


Na mitomania, não estamos falando daquelas mentirinhas que todo mundo conta de vez em quando. 


Estamos falando de histórias bem elaboradas, que aparecem com frequência e, na maioria das vezes, sem nenhum motivo aparente.


Pense em alguém que cria um mundo inteiro de histórias sobre si mesmo – tipo sucessos que nunca aconteceram, aventuras que são pura invenção ou até relacionamentos que só existem na imaginação da pessoa. 


É mais ou menos assim que a mitomania se mostra.


Agora, vamos dar uma olhada mais de perto nos sintomas da mitomania. 


  • Mentiras Frequentes: A pessoa mente tanto que se torna um hábito. Não é só uma mentirinha aqui e ali, é algo constante.

  • Sem Culpa ou Medo: Mesmo correndo o risco de ser descoberta, a pessoa não parece sentir culpa ou medo.

  • Possível Agressividade: Em alguns casos, pode haver um comportamento agressivo associado.

  • Histórias Extremas: As mentiras tendem a ser ou muito felizes ou muito tristes, como se vivessem em extremos.

  • Respostas Elaboradas: Até em perguntas simples, as respostas podem ser surpreendentemente detalhadas.

  • Herói ou Vítima: Nas histórias, a pessoa com mitomania geralmente se coloca como o centro das atenções, seja como herói ou vítima.

  • Versões Diferentes: A mesma história pode ser contada de formas diferentes em momentos diferentes.

  • Mentiras como Traço de Personalidade: Para essas pessoas, mentir é algo tão natural quanto respirar.

  • Autoimagem Favorável: Frequentemente, o mitômano se apresenta de forma muito positiva nas suas histórias.

  • Mentiras Crônicas em Várias Circunstâncias: As mentiras aparecem em diferentes situações, mostrando um padrão crônico.

  • Mentir Sem Buscar Vantagem: Curiosamente, as mentiras não são sempre para obter algo em troca.

  • Motivações Emocionais: Medo, timidez e uma intensa necessidade de atenção e aprovação podem estar por trás das mentiras.

  • Consciência da Falsidade: Diferente de delírios, a pessoa sabe que está mentindo, mas tem dificuldade em parar.

  • Sem Arrependimento: Mesmo sabendo que está errada, a pessoa não demonstra remorso pelas mentiras.


Existe Diferença entre Mentira e Mitomania?


Vamos entender rapidinho a diferença entre uma mentirinha ocasional e a mitomania. 

As 'mentirinhas inocentes' são aquelas pequenas, contadas para sair de uma saia justa ou para não magoar alguém, como inventar uma desculpa para não ir a um evento. 


Essas são comuns e não costumam ter grandes consequências. Já a mitomania é algo bem mais complexo.


Ela envolve um padrão constante de mentiras, muitas vezes sem razão clara, e a pessoa pode até acreditar nas próprias histórias que cria. 


A diferença principal aqui é a frequência e a intenção: mentiras comuns são esporádicas e têm um objetivo, enquanto a mitomania é um hábito recorrente e sem um propósito específico.


Tratamento para Mitomania


Então, você quer saber como tratar a mitomania? Vamos lá. De acordo com a médica psiquiatra e psicoterapeuta Dra. Rochelle Marquetto da Pontual Psiquiatria, a psicoterapia é a pedra angular para tratar o problema.  


É nesse processo que a pessoa aprende a entender o porquê de mentir tanto e começa a trabalhar para mudar isso​​​​.


Além disso, outras ações podem contribuir, como: 


  • Medicação: Embora não seja o principal tratamento, em alguns casos, medicamentos podem ser prescritos. Eles são usados principalmente para controlar desequilíbrios hormonais ou de neurotransmissores ou para tratar outros sintomas que contribuem para a mitomania. A necessidade de medicação é determinada com base na avaliação médica​​.


  • Conscientização e Autoconhecimento: Uma parte fundamental do tratamento é a conscientização sobre a doença e o autoconhecimento. Compreender a natureza da mitomania e reconhecer os próprios padrões de mentira é fundamental para o processo de cura.


  • Mudança de Hábitos: O tratamento também envolve ajudar a pessoa a mudar seus hábitos de vida. Aprender novas formas de lidar com as situações sem recorrer à mentira é um caminho importante para superar a mitomania.


  • Apoio Contínuo: A recuperação da mitomania pode ser um processo longo e desafiador, que muitas vezes exige apoio contínuo de profissionais de saúde mental, bem como o suporte de amigos e familiares.


Precisa de ajuda? Fale com a gente!


Se você se identificou com o que falamos sobre mitomania ou conhece alguém que possa estar passando por isso, é importante buscar mais informações e, se necessário, ajuda profissional. 


Uma conversa com um especialista pode fazer toda a diferença. Para entender melhor sobre o assunto ou marcar uma consulta, visite nosso site. 


Lá, você encontrará especialistas prontos para ajudar. 


53 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page