top of page
  • Foto do escritorRochelle Affonso Marquetto

Doenças Psicossomáticas - O que são, causas, tipos, sintomas e tratamentos


Doencas Psicossomaticas o que sao


Pense nas doenças psicossomáticas como problemas de saúde que iniciam ou pioram por causa de coisas que acontecem na sua cabeça, como estresse ou emoções intensas. A palavra "psicossomático" índica a conexão entre mente e corpo.


Ela vem do grego, onde "psyche" significa mente e "soma" significa corpo. É como se o seu organismo estivesse desabafando o que você está sentindo emocionalmente! E isso pode afetar qualquer parte do corpo, mas muitas vezes acaba mexendo com partes como estômago, coração, pulmões ou até mesmo os nervos.


Mas por que estamos falando sobre isso agora? Bem, as doenças psicossomáticas têm se tornado cada vez mais comuns. Vamos dar uma olhada em alguns números. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a ansiedade, um exemplo de transtorno psicossomático, atinge mais de 260 milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, que tem o maior número de pessoas ansiosas, isso representa 9,3% da população.


Hoje você vai entender mais sobre o problema, quais suas causas, tipos, sintomas mais comuns e opções de tratamento.



Causas das Doenças Psicossomáticas


O porquê as doenças psicossomáticas aparecem é uma questão bem complicada, assim como resolver um quebra-cabeças, onde várias peças diferentes precisam se encaixar. Da mesma forma, muitas situações na sua vida – incluindo tanto o que ocorre em sua mente quanto seu contexto social – podem contribuir para o desenvolvimento do problema.


Algumas das principais causas dessa doença são coisas como viver constantemente sob pressão, ter uma genética que te deixa mais propenso à condição, enfrentar problemas de saúde mental como depressão e ansiedade, ou ter vívido um trauma ou momento difícil.


Muitos pacientes que se queixam de algum tipo de doença psicossomática, apresentam ou já passaram por uma das situações a seguir:


  • Estresse crônico

  • Traumas psicológicos

  • Predisposição genética

  • Doenças de saúde mental, como depressão e ansiedade

  • Condições de vida desfavoráveis ou desafiadoras

  • Problemas de relacionamento

  • Experiências de perdas significativas

  • Má alimentação e falta de exercício físico

  • Uso excessivo de álcool ou drogas

  • Dificuldade de expressar emoções e sentimentos.


É como se todas as partes da sua vida - o que você sente fisicamente, o que passa na sua cabeça e o que acontece ao seu redor - estivessem todas na mesma equipe. Só que, de vez em quando, elas não conseguem trabalhar bem juntas.



Tipos de Doenças Psicossomáticas


Há uma grande variedade de doenças psicossomáticas por aí. As mais conhecidas são:


  • a pressão alta;

  • a asma;

  • o eczema;

  • a síndrome do intestino irritável;

  • e a úlcera péptica.


O que as caracteriza é que trazem sintomas físicos autênticos, daqueles que você realmente sente no corpo, mas que não são totalmente justificados por condições médicas tradicionais. Além disso, os sintomas físicos podem ser amplificados se você estiver passando por momentos de tensão emocional.



Sintomas das Doenças Psicossomáticas


Os sintomas costumam variar bastante dependendo da doença ou situação específica que você passa. Mas, em geral, eles podem incluir dores crônicas, alterações gastrointestinais, problemas cardíacos, dificuldades para respirar, ou problemas de pele.


E sabe o que mais? É bastante comum que quem sofre com essas doenças também enfrente algum tipo de sintoma ou transtorno psicológico. Então, não apenas seu corpo é afetado, sua mente também pode ser.



Diagnóstico das Doenças Psicossomáticas


Se você quer saber se sofre com uma doença psicossomática, antes é preciso entender que, embora os sintomas físicos sejam problemas sérios e reais, encontrar a verdadeira causa por trás deles pode ser como procurar uma agulha no palheiro.


Portanto, para fazer esse diagnóstico, o melhor é que você procure ajuda médica para iniciar uma avaliação completa, incluindo a avaliação do seu histórico médico, exames físicos e, talvez, alguns exames adicionais para descartar outras possíveis causas para os sintomas.


Outro elemento super importante nesse processo de diagnóstico é a avaliação psicológica. Ou seja, o aprofundamento sobre o que pode estar acontecendo não só com seu corpo, mas também com sua mente. Nesses casos, a avaliação com o psicólogo ou psiquiatra se faz fundamental.



Tratamento das Doenças Psicossomáticas


Como você viu, para entender as doenças psicossomáticas é necessário considerar o corpo e a mente. Então, o tratamento dessas doenças vai muito além de uma simples aspirina ou analgésico. É necessário, antes de tudo, pensar na cura dos sintomas físicos, mas também oferecer terapias psicológicas.

Abaixo estão alguns dos tratamentos mais comuns para doenças psicossomáticas:


  • Psicoterapia: uma das principais formas de tratar doenças psicossomáticas. Por meio de uma conversa aberta com o psiquiatra, a ideia é que você compreenda e enfrente sua doença. A psicoterapia pode usar várias técnicas, como a terapia cognitivo-comportamental, muito útil para refletir nossos padrões de pensamento e comportamento negativos. Em outras palavras, é como se reprogramássemos nossa mente para pensar e agir de maneira mais saudável e positiva.

  • Medicamentos: Com base nos seus sintomas, podem ser recomendados variados tipos de remédios, tanto para sintomas físicos quanto emocionais. Assim, podem ser prescritos antidepressivos ou remédios para ansiedade, mas também analgésicos e anti-inflamatórios.

  • Atividades prazerosas: Participar de atividades que você gosta e sente bem é outra forma de melhorar os sintomas das doenças psicossomáticas. Tanto faz se você gosta de fazer coisas simples, como ler um livro e passar tempo na natureza, ou aprender algo novo, como tocar um instrumento ou iniciar um novo projeto.

  • Medidas naturais: Para muitos pacientes, incorporar práticas naturais em seu regime de tratamento traz excelentes resultados. Por exemplo, experimente beber chás calmantes como camomila e valeriana, praticar exercícios físicos como caminhada, corrida, yoga ou pilates, e procurar resolver um problema de cada vez para evitar o estresse excessivo​​.

  • Descanso e recuperação: Às vezes, tirar um tempo para descansar e se recuperar pode ser justamente o que você precisa. Talvez pareça pouco, mas tirar umas férias, reduzir a carga de trabalho, ou apenas fazer pausas durante o dia já te trará uma grande sensação de relaxamento e a melhora dos sintomas.


Vale lembrar, que é sempre melhor conversar com um médico para encontrar o melhor plano de tratamento para você.


Conheça a equipe de especialistas da Pontual Psiquiatria e agende uma avaliação clicando aqui.


90 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page