top of page
  • Foto do escritorRochelle Affonso Marquetto

Inteligência Social: Saiba Como Ela Melhora seus Relacionamentos e Impulsiona sua Carreira


capa inteligência social


Como seres humanos, somos intrinsecamente sociais. Nossa inteligência social se desenvolve e é aprimorada através das interações com os outros. 


Quanto mais nos envolvemos com diferentes pessoas, mais afiadas se tornam nossas habilidades sociais. Isso é essencial não só para nosso bem-estar pessoal, mas também para nosso sucesso profissional.


Acompanhe nosso artigo para entender melhor sobre inteligência social e como você pode desenvolvê-la em sua rotina pessoal e profissional.


O que é Inteligência Social?


Um estudo da Lidera Assessments mostra que a inteligência social significa entender e gerenciar nossas próprias emoções e a dos outros, comunicar-se bem, criar bons relacionamentos e lidar com situações sociais difíceis.


É perceber as nuances nas expressões faciais, no tom de voz e na linguagem corporal dos outros, e entender o que esses sinais estão realmente dizendo.


Por exemplo, em uma reunião, alguém com alta inteligência social notará se uma ideia não está sendo bem aceita, não apenas pelas palavras ditas, mas pela forma como as pessoas reagem – olhares hesitantes, posturas fechadas, ou mesmo suspiros sutis. 


Ao reconhecendo esses sinais, essa pessoa pode mudar o rumo da conversa e fazer perguntas adaptando sua proposta para engajar melhor o grupo.


Empatia e Persuasão: Elementos da Inteligência Social



Na inteligência social, a empatia é você poder entender as emoções das pessoas a partir da perspectiva delas.


É realmente absorver o que estão sentindo e não apenas reconhecer suas emoções. 


No trabalho, por exemplo, quem tem inteligência social percebe quando um colega está sob estresse e pode oferecer apoio ou ajustar prazos para aliviar sua carga.


Persuasão na Inteligência Social: Convencimento com Respeito


A persuasão na inteligência social não significa forçar alguém a concordar com você; mas sim apresentar suas ideias de uma maneira que se conecte de alguma forma com valores e necessidades alheias.


Por exemplo, um bom vendedor usará sua compreensão do cliente para destacar aspectos do produto que resolvem problemas específicos, em vez de apenas listar as características do produto.


Escuta Ativa: Um Pilar Poderoso da Inteligência Social


A escuta ativa é um conceito que surgiu da psicologia e da comunicação interpessoal. 


Carl Rogers, um renomado psicólogo, destacou sua importância no contexto terapêutico, mas logo se percebeu que era algo importante em todos os aspectos das relações humanas. 


No âmbito da inteligência social, a escuta ativa é essencial porque permite uma compreensão mais profunda das motivações, sentimentos e necessidades dos outros.


Como Desenvolver a Escuta Ativa


Para aprimorar a escuta ativa, comece por focar sua atenção plenamente na pessoa que está falando. 


Evite distrações, mantenha contato visual e mostre que você está realmente interessado com acenos de cabeça ou pequenas verbalizações como "entendo".


É importante também não interromper enquanto a outra pessoa está falando e demonstrar respeito e paciência.


Após a pessoa terminar de falar, faça perguntas abertas para esclarecer e aprofundar sua compreensão, e repita com suas próprias palavras o que entendeu para garantir que está no mesmo caminho. Essa forma de comunicação demonstra empatia, respeito e fortalece as relações.


Quando as pessoas se sentem ouvidas, elas tendem a ser mais abertas e honestas, o que pode levar a uma troca de ideias mais rica e criativa.





A Comunicação Não-Verbal na Inteligência Social


A comunicação não-verbal, que inclui expressões faciais, gestos, postura e contato visual, é uma parte importante da inteligência social.

Estudos indicam que uma grande parte da comunicação humana é não-verbal. 


Por exemplo, Albert Mehrabian, um psicólogo pioneiro neste campo, propôs que a comunicação de sentimentos e atitudes é 55% através da linguagem corporal, 38% pelo tom de voz e apenas 7% pelas palavras efetivamente ditas.


Isso significa que, em uma conversa, a forma como você se posiciona fisicamente, os gestos que usa e a sua expressão facial podem comunicar tanto quanto, ou até mais, do que as palavras que você escolhe.


Por exemplo, cruzar os braços durante uma discussão pode transmitir uma atitude defensiva ou fechada, mesmo que suas palavras digam o contrário.


Como melhorar a Comunicação Não-Verbal?


Para melhorar sua comunicação não-verbal, procure se tornar mais consciente de sua própria linguagem corporal. 


Mantenha uma postura aberta e relaxada, use gestos que complementem o que você está dizendo e mantenha contato visual apropriado para mostrar interesse e confiança.

Também é fundamental aprender a ler a linguagem corporal dos outros.


Isso pode ajudar a identificar sentimentos não expressos verbalmente, o que te ajuda a dar uma resposta mais adequada e empática. 


Por exemplo, se alguém parece desconfortável ou ansioso, você pode ajustar seu tom de voz ou abordagem para ajudar a aliviar essa tensão.


Uma boa leitura da comunicação não-verbal ajuda a evitar mal-entendidos e resolver conflitos mais facilmente.


Por Que Resiliência Emocional é Importante na Inteligência Emocional?


Basicamente, a resiliência emocional é a capacidade de se reerguer rapidamente depois de situações estressantes ou frustrantes.


Em locais de trabalho, geralmente marcados por estresse e pressão, ter resiliência emocional é essencial para manter a calma. 


Isso não só melhora seu próprio desempenho, mas também contribui para um ambiente mais tranquilo e produtivo para todos.


Você se torna mais capaz de gerenciar conflitos e fica menos propenso a reações impulsivas, o que contribui para relacionamentos mais saudáveis, seja no trabalho ou na vida pessoal.


Empatia: O Elemento Central da Inteligência Social


Empatia é mais que apenas reconhecer as emoções alheias; é compreender de maneira profunda suas experiências e sentimentos. 


Por exemplo, quando um alguém expressa frustração, um indivíduo empático é capaz de perceber não apenas a emoção superficial, mas também as possíveis razões por trás dela, como inseguranças pessoais, estresse acumulado ou até dificuldades não expressas.


Sempre se coloque no lugar do outro e tente entender as situações a partir da perspectiva dele. Pergunte-se: "Como eu me sentiria se estivesse na mesma situação?", "Como isso te afetou?" ou "O que você acha que poderia ajudar agora?".


Ao responder, mostre que você compreendeu e valorizou os sentimentos da pessoa. Use frases como "Eu posso imaginar como isso é difícil para você" ou "Isso parece ter sido realmente difícil".


Conclusão: Inteligência Social em Prática


Agora você já pode colocar em prática nossas dicas, gerenciar suas próprias emoções e até influenciar positivamente os outros. 

Saiba que a inteligência social não é algo que se aprende da noite para o dia, mas com dedicação e prática, você pode melhorar muito. 


Colocando em Ação


  • Autoavaliação: Pense em como você trata seus sentimentos, como se relaciona com os outros e como reage em situações sociais diferentes.


  • Prática Diária: Seja em casa, com amigos ou no trabalho, sempre há sempre uma oportunidade de praticar os pilares da inteligência emocional.


  • Peça Feedback: Converse com pessoas de confiança sobre como você se comporta socialmente. Às vezes, a visão de outra pessoa pode te ajudar a entender e melhorar suas interações.


  • Educação Contínua: Sempre há algo novo para aprender. Leia livros, participe de workshops ou até mesmo considere a terapia para aprimorar suas habilidades sociais.


Conte com a Pontual Psiquiatria para desenvolver sua Inteligência Social


Não subestime o poder da inteligência social. Ela pode abrir portas, criar oportunidades e melhorar todas as áreas da sua vida. 


Se você quer melhorar esses pontos, entre em contato com a Pontual Psiquiatria hoje mesmo e saiba como podemos te ajudar a se tornar a melhor versão de si mesmo nas suas relações.


11 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page